Sex, 19 de novembro de 2010, 07:01

Confira balanço das obras em cinco campi e entenda procedimentos
Confira balanço das obras em cinco campi e entenda procedimentos


Mudança em edital de licitação exige que empresas atestem qualificação para obras

Em 2011, a UFS continua com seu ritmo de expansão, novos cursos de graduação foram criados, houve o aumento no número de vagas em mestrado e doutorado, contratação de mais professores e servidores. Para atender a essa demanda é necessária a construção de prédios, laboratórios e departamentos.



“A nossa universidade começa a sair do patamar de pequeno porte para uma universidade de médio porte, então, além da instalação de outros campi tornou-se necessária uma reforma na infra-estrutura básica no campus de São Cristovão, que foi criado há mais de 30 anos, e já não comporta tamanho crescimento”, relata Jorge Antonio, assessor do reitor para assuntos de obras.

Segundo informações do Dofis, estão previstas para o campus de São Cristovão obras de revitalização da rede de esgoto, reparos na rede elétrica, construção de uma subestação elétrica de 69 KV, reforma de todo o anel viário do campus, instalação da sinalização em todo o campus e adequação do campus para deficientes com projetos de acessibilidade, investimentos que ultrapassam os R$ 14 milhões.

Mas até a conclusão da obra, existem algumas etapas que toda construção na UFS deve passar. “Didaticamente, podemos dividir os procedimentos utilizados na execução de obras em cinco passos, que seria: 1º - a elaboração de projetos básicos, 2º - contratação (via licitação) de uma empresa para elaboração de projetos executivos, 3º - análise de projetos e revisão de orçamento, 4º - edital de licitação para execução da obra e 5º - a execução da obra propriamente dita”, explica Jorge Antonio. Conheça aqui os detalhes de cada passo.

Buscando garantias

Jorge explica que mesmo após a licitação da obra (4º passo) ocorriam problemas na execução. “Nós estruturamos todo o projeto, mas algumas empresas que venciam a licitação não conseguiam realizar o serviço e paralisavam as obras, isso atrasa todo nosso cronograma uma vez que é preciso realizar nova licitação e contratação de outra empresa”.

Tentado solucionar esse tipo de problema, o Dofis vem pedindo no edital de licitação que a empresa apresente atestados de qualificação técnica e econômica compatível com o objeto licitado. Segundo Jorge Antonio, “isso tende a garantir que as empresas que vencem a licitação venham construir a obra de fato”.

Esse modelo foi empregado na licitação para a construção do prédio de administração do Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA), localizado em frente da Didática I, e na construção do almoxarifado central da Prefeitura do Campus (Prefcamp). Segundo o Dofis, ambas as obras estão sendo construídas com qualidade e dentro do prazo.

Principais obras

Tentando reduzir os problemas na execução das obras, a universidade investiu muito em projetos durante o ano de 2010. “Projeto mal feito é sinal de obra atrasada. Tendo um projeto executivo bem feito, um orçamento conferido e empresas com características compatíveis (qualificação técnica e econômica) com o objeto do edital, a UFS pode deslanchar na construção de obras sem enfrentar dificuldades”, diz Jorge Antonio.

Vejamos quais as principais obras que serão construídas em cada campus:

São Cristovão

Para o campus de São Cristovão estão previstas a construção de 65 itens entre projetos e obras, que serão finalizados no decorrer de 2011 e 2012.

Além das construções já citadas, será feito, ainda, o prédio da didática VII, com a área de 12 mil m² e seis pavimentos. O projeto prevê um investimento de R$ 21 milhões e conclusão até o final de 2012.

Para Jorge Antonio, a didática VII é um investimento que pretende suprir a carência de salas de aula por muitos anos. De 2010 até o momento, o Dofis licitou a obra, fez o projeto básico, contratou a empresa para fazer o projeto executivo e está analisando este projeto, faltando apenas a licitação para a construção da obra.

Outras obras que aguardam a mesma licitação são a de reforma da Biblioteca Central, e ampliação do Resun, ambas devem ser licitados no final de junho e têm conclusão estimada em um ano.

Está sendo finalizado o projeto para construção de cinco complexos labotatoriais (e não "galpões", como informado anteriormente), estimada em R$ 7 milhões, que servirão de laboratórios de engenharia de materiais, geologia, engenharia mecânica, engenharia florestal e biologia.

E já está revisado todo o projeto para a retomada do Nupeg, obra que vai custar R$ 14,7 milhões.

O Complexo de Comunicação está aguardando a entrega dos projetos complementares para abertura de licitação para elaboração do projeto de execução.

Segundo o Dofis será feito ainda o levantamento topográfico planialtimétrico de todo o campus, que possui uma área de 1,5 milhão de m² e o projeto de irrigação para toda área verde, que possui 570 mil m², equivalente a 37% de todo o campus. Veja o mapa.

Hospital Universitário

No Hospital Universitário já está em processo de execução a obra da unidade materno-infantil, investimento de R$ 8,7 milhões, e a ampliação do anexo do HU, ao custo de aproximadamente R$ 2,8 milhões.

E está em fase de projeto a construção do andar superior do departamento de pós-graduação de medicina, que vai servir para os cursos de fisioterapia e fisiologia.

Itabaiana

Itabaiana será contemplada com a construção da didática III, prédio de quatro pavimentos, e área total de 8400 m². A didática III ficará no terreno doado pela prefeitura em frente ao campus, antigo estacionamento da Unit. A obra ainda está em fase de projeto.

Laranjeiras

Segundo o Dofis, o Campus de Laranjeiras por ser novo, não necessita ainda de grandes obras, por lá serão feitas apenas pequenas reformas, com investimento de R$ 149 mil.

Lagarto

Para o campus de Lagarto, a Dofis está aguardando o período de chuvas passar para começar as obras dos projetos executivos, que abrangem os serviços de terraplenagem, pavimentação, drenagem, sistema de abastecimento de água, rede de distribuição elétrica, rede de telefonia e rede de coleta de esgoto com tratamento.

Neste campus serão construídos o Centro de Simulação e Práticas, os prédios laboratorial e departamental, o Centro de Vivência, o Biotério, um auditório com 1.000 lugares e uma biblioteca. Todos esses prédios estão em fase de projeto. O orçamento estimado chega a R$ 54,3 milhões.

Enquanto as obras deste campus não forem concluídas, as aulas continuarão ocorrendo na sede provisória, a Escola Estadual Abelardo Romero Dantas.

Ascom
comunica@ufs.br


Atualizado em: Qui, 02 de junho de 2011, 12:22
Notícias UFS
Avaliação
UFS é destaque no Enade 2016
Enfermagem e Nutrição (ambos de Lagarto) e Fisioterapia (Aracaju) obtiveram nota máxima; veja nota de outros cursos